Tribo Urbana – skatistas

15 ago

cena do filme Paranoid Park de Gus Van Sant
cena do filme Paranoid Park de Gus Van Sant

Falar sobre skatistas não é falar apenas sobre uma tribo em específico, mas sim sobre uma subcultura, ou mais que isso. É falar sobre um estilo de vida, onde o ato de praticar skate é um esporte e uma forma de expressão.
No início da década de 1960, os surfistas da Califórnia queriam fazer das pranchas um divertimento também nas ruas, pegaram a rodas de seus patins e uniram a shapes e saíram pelas ruas em uma época de marés baixas e seca na região. Inicialmente, a nova “maneira de surfar” foi chamada de sidewalk surf.
-Em 1965, surgiram os primeiros campeonatos, mas o skate só ficou mais reconhecido uma década depois que a modalidade ganharia reconhecimento mundial, sendo praticada por um número cada vez maior de jovens que buscavam transgredir limites, desafiando as leis da gravidade em manobras tão radicais quanto poéticas.
Em 1973, o norte-americano Frank Naswortly inventou as rodinhas de uretano, que revolucionaram o esporte. Um skate passou a pesar por volta de 2,5 kg.

Dogtown

Dogtown

Na década de 70, um grupo de jovens californianos conhecido como Z-Boys, participantes do Z-team, foi o responsável pela invenção das modalidades Wall Riding – onde os skatistas dropam em paredes, hoje também conhecida pelo nome de Wall Ride – e Pool Riding – modalidade praticada em piscinas vazias.
-Em1979, Alan Gelfand inventou o Ollie-Air, manobra com a qual os skatistas ultrapassam obstáculos elevados. A partir disso, o skate nunca mais foi o mesmo. Essa manobra possibilitou uma abordagem inacreditavelmente infinita por parte dos skatistas. Não se pratica Street Style sem o domínio do Ollie-Air.
-Na década de 1980, um dos revolucionários do esporte, principalmente na modalidade freestyle foi Rodney Mullen.. Outro revolucionário, na modalidade Vertical, foi Tony Hawk, inovou a maneira como os skatistas devem abordar o Half-Pipe, sempre procurando ultrapassar o limites de criatividade e dificuldade de execução das manobras. É tido como o maior skatista de todos os tempos. Verdadeira lenda viva do desporto.

Como eles são
– Por existir a forte ligação com o surfe, no inicio suas roupas eram bem coloridas, calças Jeans justas, cabelo compridos, roupas que surfistas usavam na década de 70, mais o acompanhamento de elementos de proteção como joelheiras e cotoveleiras.

Lord of Dogtown

Lord of Dogtown

Após os anos 80 os skatistas criam sua moda, calças largas em jeans ou sarja para dar mais movimento, que possuem grandes variedades no que diz respeito a modelagem, como corte mais amplo e confortável, bem como gancho caído e diversos bolsos, camisetas e camisas fazendo sobreposições, o uso de moletons, camisas xadrez ,as peças são relativamentes simples, o que conta é a logotipia forte, aplicação de muito silks e estampas, que deixa claro a ligação com a cultura urbana marginal como forma se expressar, a moda nos dias de hoje tem muita influencia dessas décadas anteriores, sobreposição, camisas de manga curta e comprida, calça jeans com elastano para ficar ajustada no corpo porém dando movimento para a prática do esporte.
Entre os acessórios utilizados pelos integrantes dessa tribo encontra-se: Os bonés são indispensáveis para a montagem do look skate. Por se tratar de uma forma de vestir que possui sua essência no esporte, a utilização de tênis também é importante. O modelo mais comum é o de formato arredondado, nas versões em cano longo ou não.
Os detalhes decorativos – recortes, aplicações – são inspirados em elementos provenientes da arte urbana, podendo explorar cores contrastantes. A utilização de correntes pesadas em metal já dá conta de demonstrar a transformação do estilo, mesclando referências provenientes de outras subculturas presentes no ambiente urbano.

Linlcon Ueda, Sandro Dias, Bob Burnquist e Cristiano Mateus

Linlcon Ueda, Sandro Dias, Bob Burnquist e Cristiano Mateus

Na técnica, o estilo skate acaba por se confundir com outro invento do asfalto, o streetwear, principalmente devido à igualdade essenciais de ambos estilos. Ou seja, ao adicionar múltiplas linguagens ao seu arsenal de signos, o skate assume aspectos também múltiplos, reinventando-se à velocidade dos novos movimentos que vão surgindo nas metrópoles.
Uma distinção é que o centro irrequieto do skate é ágil e nervoso, fruto da liberdade essencial ao skatista. Assim, ao falar sobre como se vestem, também é certo falar sobre tipos de Arte Urbana como o Graffiti e sua evolução nas últimas décadas.

Trabalho das Grafiteiras Sarety e Pr!

Trabalho das Grafiteiras Sarety e Pr!

Muitos dos elementos que decoram as peças típicas dos skatistas carregam o graffiti em sua composição pelos mais variados motivos, passando por grafismos incompreensível, chegando até a personagens oníricos presentes no imaginário dos centros urbanos.

Estilo de Música

O gosto musical do skate reúne influências de vários gêneros, no entanto a vertente mais forte entre os acordes pesados do hardcore é o ritmo apressado e bruto do punk, com certeza o punk rock acabou sendo a forma de expressão musical mais importante para essa tribo.
A revista americana Thrasher, que é bíblia do esporte, foi a primeira publicação a falar sobre o assunto, sendo responsável pelo surgimento de importantes bandas do gênero. No início dos anos 80, a publicação buscava dar conta de levar ao conhecimento do público o chamado punk/hardcore/californiano e, sem dúvida, este aspecto foi importante para o surgimento do fenômeno skate punk no Brasil
Contudo, atualmente outros estilos musicais também são bastante associados ao esporte e à tribo, como o hip hop e o rap.

Artes

O controverso artista plástico Basquiat é uma referência importante para a tribo. Foi ele quem elevou o graffiti à camada de arte, levando para importantes galerias sua arte original e transgressora, que procurava dar conta das agitação surgidas à margem do sistema vigente na época. Só ai foi possível que a arte originada destes círculos marginais encontrasse respeito e reconhecimento, contribuindo para a legitimação também do skate, outra expressão urbana, em outros círculos da elite intelectual.

Basquiat

Basquiat

Anúncios

15 Respostas to “Tribo Urbana – skatistas”

  1. dhanylo setembro 12, 2009 às 1:15 PM #

    ll

  2. danielle setembro 28, 2009 às 5:36 PM #

    INTERESSANTE ESSA MATÉRIA. PO TAVA PROCURANDO ALGO ASSIM PARA FAZER UM TRABALHO DA FACULDADE , PENA QUE NÃO CONSEGUI BAIXAR.BJUS

  3. dandara novembro 11, 2009 às 2:08 PM #

    mt massa essa materia vey trabalho do colegiu ajudou pkas

  4. Mario Gonçalves novembro 22, 2009 às 7:37 PM #

    Meuu mto loko essa materia sobre skatistas nos que somos vistos como baderneiros!!
    Esse preconceito tem que acabar, luto mto para ser visto como apenas um skatista normal..
    aBRAÇOS!!

  5. Taah :* dezembro 31, 2009 às 3:53 PM #

    cara mto filé essa matériia,concordo com o Mario,esse preconceito deve acabar,sou skatista mais nem por isso sou galerosa marginal,apenas amo esse esporte e tenho estilo !!
    Beiijão.

  6. Helena Raquel janeiro 15, 2010 às 7:32 PM #

    Legal o final de Reis de Dogtown em que a gente vê que o Jay já estava careca e vestindo preto, antecipando o punk/hardcore/straight edge. Adoro skate e a história do movimento.

  7. Brunno Amâncio abril 10, 2010 às 11:33 PM #

    Gostei da sua matéria.

  8. RDX maio 12, 2010 às 4:03 PM #

    Adorei a matéria veyoo, é mto bom saber mais sobre esse espote/cultura .

  9. Mrs.Skating junho 28, 2010 às 1:59 PM #

    I love you sk8

  10. Rodrigo julho 25, 2010 às 11:46 PM #

    Exelente materia , po cara vamos aumentar mais esse movimento.contra preconceito ao skate !

    alohaaa !!

  11. L agosto 8, 2010 às 6:52 PM #

    vei essa maiteria e mo maneira foi a salvaçao de um trabalho do colegio

  12. suamaeehminha maio 16, 2011 às 2:14 PM #

    Materia massa me ajudou no colegio
    vlw
    suamaeehminha

  13. pri março 4, 2012 às 10:05 AM #

    ola, gostei muito do artigo, gostaria da fonte para utilizar em um trabalho para a faculdade, pode ser?
    Obrigada bjos!

  14. bruna junho 7, 2012 às 8:15 PM #

    muito boa essa matéria,na minha opinião as pessoas q discriminam os skatistas são um monte de gente sm um pingo de cultura,pô assim c/ nós respeitamos o estilos deles eles deviam respeitar o nosso.

  15. Vick agosto 7, 2012 às 5:48 PM #

    Muito bom, gostei e me ajudaou afu pro meu trabalho pro colegio. (Y)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: